0
Da bancada

2020 está quase acabando

Eu, em meu ateliê, sigo na batalha.

Todos seguimos na batalha.

Acabo de ler o texto que escrevi em 15 de abril desse ano e ele segue representando o que faço e o penso a respeito desse meu fazer. Durante o que agora já são nove longos meses, minhas mãos ocupadas garantiram a sanidade mental e a sobrevivência. Mais ou menos, né?

Esse fim de ano está colocando em cheque todos os nossos brasileiros costumes de festejos. Quem é empático e solidário baixará o tom e comemorará mais recolhido. Quem acredita que não há nada de errado com o mundo vai comemorar como sempre. Como se desenrolará 2021 será a melhor forma de avaliar nossas decisões de agora.

No meio dessa pandemia, há luto e razões para celebrar. Estar vivo em 31 de dezembro já vale uma grande comemoração. Algumas pessoas foram fortemente atingidas pela crise sanitária e econômica. Outras, nem tanto. Há até quem se saiu muito bem, por estar fazendo a coisa certa na hora exata ou ter tido a formidável capacidade de se reinventar num piscar de olhos. Hora de nos voltarmos para dentro e reconhecer nossos privilégios e nossa capacidade de levar auxílio a quem precisa. Pode ser uma palavra, um gesto, um apoio.

Vale postar mais uma vez tudo aquilo que é mantra para mim e que é dica de comportamento para quem quer ajudar os micro e pequenos negócios a sobreviver. Tem gente que não sabe que eles movem a economia. Sua capilaridade oferece mais postos de trabalho, receitas e impostos que muitos grandes empreendimentos.

Sobre empatia, solidariedade e manter todos de pé

O ateliê está aberto-fechado. Isso trouxe algumas perdas. Houve quem insistisse em ver as peças pessoalmente, talvez para experimentá-las ou ver com os dedos ou sei lá o porquê. Infelizmente, não me senti em condições de atender a esses pedidos.

Contei e conto exclusivamente com aqueles que compartilham o meu desejo de não ser mais um vetor de contágio. Parece cenário de filme de ficção científica, mas quem perdeu alguém próximo entende perfeitamente do que se trata.

Como em todos os anos, dou um estirão até o entardecer do dia 24 e depois até o dia 30 de dezembro. Quem quiser se presentear ou presentear alguém, pode ter a certeza de uma peça feita com amor e verdade no coração; um pouco de sangue, suor e lágrimas também; e, principalmente, super higienizada e transportada com segurança. Bilhetinhos feitos à mão para quem quiser mandar uma mensagem junto com a joia e presentinho-surpresa enquanto ainda estiverem disponíveis. O caminho para o catálogo online é esse AQUI.

Envios por Sedex
21 e 28 DEZ
Entrega por motorista em São Paulo

até 24 e até 30 DEZ, 14h

Para quem não passar por aqui novamente, um 2021 cheio de saúde, luz, cor e bem melhor para todos nós!

You Might Also Like...

Sem comentários

    Deixe seu comentário